1 de junho de 2017

João Calvino: As mulheres serão salvas tendo bebês


João Calvino: As mulheres serão salvas tendo bebês

João Calvino
“Porque primeiro foi formado Adão, e depois Eva. E Adão não foi enganado, mas sim a mulher, que, tendo sido enganada, tornou-se transgressora. Entretanto, a mulher será salva dando à luz filhos — se elas permanecerem na fé, no amor e na santidade, com bom senso.” (1 Timóteo 2:13-15 NVI)

ENTRETANTO, A MULHER SERÁ SALVA:

A fraqueza sexual torna as mulheres mais receosas e tímidas, e a declaração precedente pode muito amedrontar e assustar as mentes mais fortes. Por esse motivo, ele modera o que ele havia dito acrescentando um consolo…
Paulo, a fim de consolá-las e fazer com que a condição delas seja tolerável, as informa de que elas continuam a gozar a esperança da salvação, embora elas sofram um castigo passageiro.
É conveniente observar que o bom efeito desse consolo é duplo. Primeiro, pela esperança da salvação estendida a elas, elas são impedidas de cair em desespero por meio do susto com a menção da culpa delas. Segundo, elas ficam acostumadas a aguentar com calma e paciência a necessidade de submissão, a fim de se submeterem de bom grado a seus maridos, quando são informadas de que esse tipo de obediência é produtiva para elas e aceitável a Deus.
Se essa passagem for torcida, como os papistas estão habituados a fazer, para apoiar a justiça das obras, a resposta é fácil. O Apóstolo não argumenta aqui acerca da causa da salvação. Portanto, não podemos e não devemos inferir dessas palavras o que as obras merecem. Essas palavras só mostram de que jeito Deus nos conduz à salvação, para a qual ele nos nomeou por meio de sua graça.

DANDO À LUZ FILHOS:

Para os homens críticos pode parecer absurdo que um apóstolo de Cristo não só exorte as mulheres a dar atenção ao nascimento de filhos, mas também a se esforçar nessa atividade como algo religioso e santo a tal ponto de representá-la à luz dos meios de obter a salvação…
Não importa o que os hipócritas ou homens sábios do mundo pensem disso, quando uma mulher, considerando para o que ela foi chamada, se submete à condição que Deus lhe designou, e não recusa aguentar as dores, principalmente a angústia e medo do parto, ou as preocupações com seus filhos, ou qualquer outra coisa que esteja ligada ao dever dela, Deus valoriza essa obediência muito mais do que se, de alguma outra maneira, ela fizesse uma grande demonstração de virtudes heroicas, enquanto ela recusava obedecer ao chamado de Deus.
Acrescente-se a isso que nenhum consolo pode ser mais adequado e eficaz do que mostrar que os próprios meios (por assim dizer) de obter a salvação se encontram no próprio castigo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês: Calvins’s Commentary (Comentário de Calvino), Vol. 21, p. 71. Publicado originalmente pelo teólogo luterano Charles D. Provan em seu livro “The Bible and Birth Control” (A Bíblia e o Controle da Natalidade), impresso pela editora Zimmer Printing em Monongahela, Pensilvânia, EUA, em 1989.
Versão em inglês deste artigo: John Calvin: Women Will Be Saved by Having Babies
Leitura recomendada:

24 comentários :

Jorge Santos disse...

Muito bom. Sugiro que aprofunde a leitura de Calvino diretamente da fonte, como as Institutas. Salvo engano há uma edição da Unesp.

Julio Severo disse...

Tenho as Institutas, em inglês. O que o teólogo luterano Charles Provan fez foi pegar os comentários de Calvino diretamente no livro original dele, e ele ficou chocado como teólogos calvinistas traduzem as obras de Calvino OMITINDO várias declarações cruciais dele sobre família grande. Pelo visto, os teólogos calvinistas cessacionistas também não gostam de mensagens que vão de encontra à sua mentalidade contraceptiva!

Jorge Santos disse...

Por isso é importante ir direto na fonte. Esses "calvinistas" liberais não são calvinistas. Se fossem, não omitiriam. Aliás eu posso dizer que sou adventista e considerar Ellen White irrelevante. Dizer é uma coisa. Ser é outra.

Jorge Santos disse...

Ah só um detalhe. O original das Institutas é em latim.

Sandra Eli disse...

Ridículo! Esse Calvino além de herege era bem burrinho, analfabeto mesmo. Ora, se segundo a sua teoria da predestinação Deus, de antemão escolheu unas para salvar e outros para condenar, o fato da gestação não socorre aquelas mulheres que desde a Eternidade foram condenadas por Deus. Mais ainda, afora esta contradição, partindo do raciocínio havido no texto esdrúxulo, a mulher que morrer solteira ou estéril tá lascada... Cada uma...

Julio Severo disse...

Sandra (seu restrato tem um homem!), o que está em questão neste artigo não é a doutrina da predestinação. É 1 Timóteo 2:15. Não há nada contraditório, analfabeto, burro e muito menos antibíblico aí. Calvino interpretou corretamente essa passagem, que não diz que ter bebês é a CAUSA da salvação. A CAUSA é Jesus Cristo. As mulheres serão SALVAS por Jesus Cristo NA POSIÇÃO de mães tendo bebês SE permanecerem na fé, no amor e na santidade, com bom senso.

Muito antes de eu ler Calvino, eu li essa passagem e não tive dificuldade de entendê-la… Não é porque eu me oponha ao fanatismo de alguns calvinistas radicais que vou desqualificar uma interpretação correta que Calvino fez da Bíblia. Longe de mim isso!

Sandra Eli disse...

Ah sim Julio Severo, "As mulheres serão Salvas por Jesus Cristo NA POSIÇÃO de mães tendo bebês", assim como as que NÃO tiverem ou NÃO puderem ter... Não é assim? Então qual a utilidade de um texto cujo título vem assim vazado: "João Calvino: as mulheres serão salvas tendo bebês..."? Ora, não diz nada com coisa alguma se Cristo é ele próprio a causa da Salvação... Não é a mulher ter bebê... Infeliz para dizer o menos. E ninguém tem dificuldade de interpretar tal texto (aliás, ninguém aqui disse que o texto,de per se, é antibíblico, analfabeto, burro... e sim que Calvino o era...); o fato é que tremendamente contraproducente que um predisnacionista {como Calvino}afirme isto no texto:"quando uma mulher, considerando para o que ela foi chamada, se submete à condição que Deus lhe designou(...)Deus valoriza essa obediência muito mais do que se, de alguma outra maneira, ela fizesse uma grande demonstração de virtudes heroicas, enquanto ela recusava obedecer ao chamado de Deus". Epa! Submeter e obedecer diz com livre arbítrio. Foi para esta contradição que eu chamei a atenção embora o texto não trate especificamente de tal teoria. Quanto a imagem de um homem em meu perfil, qual o problema? Poderia ser uma torneira, uma flor, uma casa, uma Cruz, um urso, um peixe... Em suma, o texto é inútil, não diz nada com coisa alguma e, lamentavelmente, a fonte não é idônea.

luciano betim disse...

Ler qualquer autor é como comer peixe: é preciso separar os espinhos.
Nenhum teólogo ou sistema religioso é perfeito. Todos tem falhas. O que precisamos é acolher aquilo que é bom, e naquelas coisas que discordamos devemos praticar o respeito.

Parabéns Julio.

Julio Severo disse...

Sandra, você disse “"As mulheres serão Salvas por Jesus Cristo NA POSIÇÃO de mães tendo bebês", assim como as que NÃO tiverem ou NÃO puderem ter...” NUNCA SE USA A EXCEÇÃO PARA ANULAR A NORMA. Por exemplo, na sua mesma lógica você poderia dizer que o mandamento de Jesus “Ide a todo o mundo e pregai o Evangelho” é inútil, pois há cristãos muito velhos que não podem andar, há cristãos deficientes que não podem andar, e assim usando a exceção para anular a norma.

O texto bíblico é claro: AS MULHERES CRISTÃS QUE TÊM CONDIÇÕES FÍSICAS DE TER BEBÊS JÁ TÊM UMA MISSÃO: TER BEBÊS!

Quanto as mulheres estéreis, ou velhas demais, Deus entende.

Quanto aos paralíticos e outros que não podem andar, Deus igualmente entende que eles não possam ir ao mundo todo e pregar o Evangelho.

Jorge Santos disse...

Se ele era burro ou analfabeto, eu não sei. Só sei que ele obteve o título de Doutor em Direito aos 23 anos...

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

A grande inovação de Calvino foi criar uma teologia que aceitava o acúmulo de riqueza através do trabalho.
O cristianismo até aí via o trabalho como vil. A acumulação de riqueza era bem vista por se ser dono de terra, rei ou alto claro.

Ganhar dinheiro no comércio era coisa de judeus ou de quem vendia a alma ao diabo. Com direito a perder os bens e a vida....

A burguesia ascendente estava descontente com a teologia vigente.

Calvino trouxe a novidade da predestinação. Logo quem era rico era escolhido por Deus e portanto não devia ter vergonha mas orgulho.

No fundo o moderno capitalismo e a teologia da prosperidade são herdeiras das teses de Calvino.

É evidente que o calvinismo tornou-se muito bem acolhido pela ascendente burguesia e vista com muito maus olhos pela nobreza em decadência.

Podemos dizer que o mundo capitalista ocidental é herdeiro direto das teses calvinistas.

O resto de Calvin teve pouco impacto no mundo.

Jorge Santos disse...

O catolicismo via o acúmulo como vil, não o cristianismo. E antes de Calvino, Lutero e Melanchthon pregaram a predestinação. O capitalismo moderno é herdeiro mais do judaísmo que do cristianismo, vide banqueiros holandeses. E a teologia da prosperidade nada tem a ver com calvinismo que deixou poucos bens: http://www.monergismo.com/textos/jcalvino/testamento_joao_calvino.htm
Finalmente se o impacto calvinista é reduzido, nem deveríamos falar dele ou de calvinismo.

averdadeliberta disse...


Calvinistas e Arminianos estão presos em um falso paradigma, pois eles pensam que é ou Calvinismo ou Arminianismo. Eles rejeitam o fato de que há uma terceira alternativa - o que a Bíblia realmente diz, sem nenhum pré-condicionamento interpretativo.

No arminianismo, Jesus não é o Salvador, porque é ensinado que as pessoas devem se salvar através de seu próprio desempenho. No calvinismo, deus é sádico pois ele teria criado a maioria das pessoas apenas para enviá-las para o inferno sem chance de clamarem por misericórdia, e ainda implora para que elas O aceitem sendo que Ele mesmo faz com que elas sejam pecadoras e o rejeitem.

Quando se lê as Escrituras sem lentes calvinistas ou arminianas, elas fazem todo sentido. Você passa a questionar o que certos versículos significam e não como eles se encaixam no calvinismo/arminianismo. Livres de conceitos como a filosofia grega que influenciava a visão de Calvino, você percebe que a Verdade é bem diferente.

averdadeliberta disse...

Jorge, na Bíblia os que ostentavam títulos de doutor e se achavam mais inteligentes que os demais eram justamente os Fariseus.

luciano betim disse...

Caro Sousa da Ponte... Boa noite irmão.

Você escreveu: "Calvino trouxe a novidade da predestinação. Logo quem era rico era escolhido por Deus e portanto não devia ter vergonha mas orgulho."

Tem algum texto de Calvino, fonte do próprio reformador, onde ele afirme isso?

Abraços

averdadeliberta disse...

Quanto a esse texto de 1 Timóteo 2:13-15, A salvação aqui claramente não tem nada a ver com condenação eterna. Leiam o CONTEXTO. O contexto é o silencio da mulher e sua falta de papel docente na Igreja. Como uma mulher é salva ou livrada disso?

A resposta de Paulo é brilhante. Ela [Singular] será salva na criação de crianças se elas [plural - as crianças] continuarem na fé, no amor e na santidade, com autocontrole.

O plural aqui se refere sem duvida nenhuma as crianças, respeitando o contexto. De outra forma o argumento de Paulo seria destruído e nao faria o menor sentido.

luciano betim disse...

Entretanto, a mulher será salva dando à luz filhos — se elas permanecerem na fé, no amor e na santidade, com bom senso. - NVI

Mas a mulher será salva tendo filhos se ela, com pureza, continuar na fé, no amor e na dedicação a Deus. NTLH

Me parece que "elas" não aparece no grego original...

Jorge Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Santos disse...

Só tem um detalhe: a Bíblia não é uma terceira alternativa mas a única.

Cicero disse...

averdadeliberta - "No arminianismo, Jesus não é o Salvador, porque é ensinado que as pessoas devem se salvar através de seu próprio desempenho."
Logo, Jesus nem precisaria ter vindo à Terra?

Flávio da Vitória disse...

As pessoas podiam ler o que arminio diz sobre sslvacao. O homem é salvo somente pela pela graca e somente atraves da fe. Leiam o livro arminianismo mitos e realidades. Deus elegru awueles que confiam na obra de Cristo, é so pelo merito de Jesus que a pessoa é salva.

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Luciano :

Eu realmente nunca li mais que fragmentos de Calvino.

Interessa me a reforma e contra reforma como fenômeno histórico e sociológico.

Após a queda do Império Romano a Europa caí no caos. A estrutura de estado romano desfaz-se e começa uma guerra de todos contra todos.
No meio desta confusão a igreja católica assume um papel de destaque.
É a guardiã da língua romana permitindo assim que tribos com línguas muito diferentes comuniquem entre si , via um membro da igreja, em latim.
Ao mesmo tempo recuperam via os sábios árabes os textos clássicos gregos e romanos.
Mantém também um poder temporal sobre os reinos europeus mantendo uma certa coesão social.

É curioso que no século VII o saber estava mas universidades árabes no século XIV já não havia universidade árabe digna de nota.O saber já estava na cristandade.

Na idade média houve um imenso labor intelectual na cristandade. Tomás de Aquino, entre muitos outros adaptaram a mundividencia cristã à lógica de Aristóteles e forjaram o Deus cristão moderno.

Com os descobrimentos tudo muda.

O saber clássico é posto em causa. O islao perde a rota da seda para portugueses e espanhóis e entra em declínio.

A burguesia ascendente procura novos caminhos e um lugar ao sol numa sociedade muito estruturada.

Penso que Lutero e Calvino bem tinham noção da revolução que estavam a criar.

A burguesia acreditava na iniciativa privada e na capacidade racional muito mais que nos clássicos que negavam os antípodas ou que afirmavam que a mosca tinha quatro patas.

Queriam experimentar, davam muito mais valor a um cientista que a um filósofo e procuravam a inovação e o saber de experiência feira.

A reforma, e dentro dela o calvinismo, dividem a Europa em duas.

Os países católicos mais ligados à tradição e à escolástica e os países da reforma mais ligados à ciência e ao poder da razão.

Acresceu também a expulsão dos judeus ibéricos que foram recebidos pelos países da reforma.

Isto levou a um atraso dos países do Sul e um grande progresso do Norte reformado.

Pode haver a tentação de dizer que fulano ou beltrano foi o autor de tudo.

Foi um processo colectivo e lento.

Certamente os protagonistas não tinham a menor ideia do impacto que viriam a ter.

A ironia foi que um homem medieval português - Henrique o navegador - tenha tido a ideia brilhante de mandar fazer novos mapas não com base nos sábios do passado mas com base em observações.
Dá origem ao método científico e descobrimos o que se sabe.

Falhamos a reforma da religião, como Espanha, é pagamos caro por isso.

Era só isso.
As minuencias de Lutero ou Calvin acabam agora por ser pouco interessantes.

Interessa é o quadro geral.
O triunfo da razão e da ciência que permitiu a moderna sociedade tecnológica.

No século VI o islao era a sociedade mais avançada. No século XV foi completamente superado pela cristandade.
Nos séculos seguintes civilizações milenares como a China, Índia e Japão foral ultrapassadas pelo Ocidente.

luciano betim disse...

Sousa da Ponte,

Obrigado irmão...

Encontrei um artigo que tinha feito, justamente sobre esse tema, de que Calvino ensinou que riquezas eram evidencias da predestinação (segundo a tese de Max Weber), o que na verdade não procede. Segue alguns textos:

No livro "A ética protestante e o espírito do capitalismo", Max Weber esclarece que não cita Calvino, e sim o desenvolvimento do Calvinismo numa região da Alemanha:

[...] não estamos estudando os pontos de vista pessoais de Calvino, mas sim o calvinismo, e isto na forma para a qual ele evoluiu em fins do século XVI e no século XVII, nas grandes áreas onde teve uma influência decisiva, e que foram, ao mesmo tempo, representantes da cultura capitalista [...] (WEBER, 2010, p.128).


Em outra parte Weber nega que Calvino ensinou que riqueza seja evidencia da predestinação:

[...] Ele rejeita, em princípio, a suposição de que alguém possa deduzir pela conduta dos outros se estes são escolhidos ou condenados. Isto é uma tentativa injustificável de forçar os segredos de Deus. Nesta vida, o eleito não difere exteriormente de modo algum dos condenados, e este pode ter [...] as experiencias subjetivas dos escolhidos [...] (WEBER, 2010, pp.60-61).

Por fim, o próprio Calvino escreve que não há nenhuma relação entre riqueza e predestinação:

Se alguém quiser julgar pelas coisas presentes quem Deus ama e quem Deus odeia, trabalhará em vão, visto que a prosperidade e a adversidade são comuns ao justo e ao ímpio, ao que serve a Deus e ao que lhe é indiferente, de onde se infere que nem sempre Deus declara amor aos que ele faz prosperar temporalmente, tampouco declara ódio aos que ele aflige (CALVINO, 2006, p. 26).

Não defendo Calvino, mas tem muita coisa injusta sendo atribuída a ele. Existem erros absurdos nos livros de história...

Um abraço


REFERÊNCIAS

CALVINO, João. Institutas da Religião Cristã: edição especial com notas para estudo e pesquisa. São Paulo: Cultura Cristã, 2006.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do Capitalismo. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

Jorge Santos disse...

É verdade mas Paulo era inteligente e foi fariseu: 2 Pe 3:15.